mapa anual de remoinhos, desde 07 de Junho de 2008
ip-location
HELP TIBETE!
opiniões sobre tudo e sobre nada...
Sábado, 17 de Dezembro de 2016
Meninas mulheres

São meninas e são mulheres. São meninas com responsabilidades de mulher. São meninas de corpo e/ou cabeça de mulher. São meninas na escola e mulheres em casa. A vida passou-lhes uma rasteira. Talvez não seja culpa da vida, mas da sociedade em que vivemos.

A nossa sociedade admira pessoas trabalhadoras. Daquelas que têm trabalhos com horários incríveis (só com uma folga por semana) ou até dois trabalhos que asseguram a comida e as despesas mensais da família. Ninguém consegue pensar mais além disso mesmo. O problema é que estas horas dedicadas ao trabalho (que a nossa sociedade tanto admira) rouba horas à família. Não é culpa destas, por mais que muitos teimem em arranjar-lhes defeitos. Elas apenas respondem às exigências da sociedade em que se inserem. E por esse mundo fora, este problema multiplica-se. Quando acontecem tragédias, culpam as famílias. Como se o problema apenas se resumisse a esse universo.

Estas meninas, para além dos deveres escolares, acumulam deveres domésticos. Substituem os pais ausentes.

Encontrei as duas na mesma semana, apenas separadas por dias. Uma delas saía do supermercado, carregada de compras e rodeada de crianças mais novas que pareciam os irmãos mais novos. Além da carga, que era pesada, tomava conta de gaiatos que gravitavam à sua volta. A sua voz tentava sobrepor-se aos gritos dos mais novos, tentando assumir um tom de comando no sentido de impor algum respeito e fazer-se obedecer.

A outra, já com corpo de mulher, mas com uma idade muito abaixo da projetada pela sua imagem, seguia rumo a casa com três sacos enormes de compras que tentava equilibrar, sem êxito, no seu corpo.  Mais compras. Mais uma tentando preencher as lacunas deixadas pelos pais ausentes.

Exigem delas na escola. Exigem delas em casa. Vivem uma vida ensanduichada entre deveres e com pouco tempo para dedicar a si mesmas e aos interesses de crianças que ainda são. A notas, na escola, refletem essa vida. O cansaço assume um peso enorme naqueles ombros tão tenros.

Tudo isto se reveste de um perigo que a sociedade teima em ignorar. Os salários baixos levam os pais a ausentar-se para compensar as despesas mensais e não têm em conta aspetos humanos, só económicos. Se tudo corre bem, esta fase da vida daquelas meninas mulheres com todos os contratempos nela incluídos, apenas são do conhecimento da família e alguns vizinhos de confiança. Se, pelo contrário, esses contratempos saem, pelas piores razões, desse âmbito, apenas a família fica debaixo da mira das responsabilidades. As atenuantes passam ao lado, apenas se fala de negligência familiar. Mas, a responsabilidade é mais lata. E é uma responsabilidade vertical que começa com o valor do salário mínimo estabelecido pelos políticos e defendidos por patrões. Todos estes são responsáveis indiretos deste problema de que não se fala. Quando se pagar o trabalho com o devido valor, já não será necessária essa ausência parental e talvez desta forma talvez se consiga o equilíbrio que as famílias necessitam, para se conseguir, com a solução, uma sociedade mais equilibrada, em todos os aspetos.

Quando as crianças tiverem mais tempo para ser crianças, talvez as avaliações sejam aquilo que o ME deseja mas sem a necessidade de exigir dos professores.



publicado por fatimanascimento às 21:25
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

mapa mensal desde 7 de Junho de 2008
ip-location
mais sobre mim
contador
Free Web Counters
Free Counter
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Monarquia versus repúblic...

Meninas mulheres

sociedade e desigualdade

“Vai abrir a porta, filha...

Verdade, jornalismo e… co...

Refugiados

Esquerda unida

Evolução

Eleições e pensamento

Fiadores

arquivos

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Agosto 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Devemos ser mesmo maus na...

A manifestação de Braga

links
leitores on line
online
URGENTE!
www.greenpeace.pt
sapo
blogs SAPO
subscrever feeds