mapa anual de remoinhos, desde 07 de Junho de 2008
ip-location
HELP TIBETE!
opiniões sobre tudo e sobre nada...
Domingo, 11 de Dezembro de 2011
Mercado paralelo do livro

Como sobreviver contornando as livrarias tão pesadas com obras que fazem as mesmas passar despercebidas.

 

Conheci dois poetas, há algum tempo atrás, que decidiram as suas vidas! Como tivessem dado com uma editora que nada fazia quanto ao escoamento dos seus livros, resolveram eles próprios deitar mãos à obra. Assim, e com protocolos firmados com os municípios, percorrem o mapa nacional, aos fins-de-semana, levando a cultura aos mais diversos pontos do país – a sua cultura! E como não poderia deixar de ser, têm bastante clientela porque o produto tem qualidade. Assim, e não correndo o risco de me enganar, são capazes de vender tanto como alguns autores conceituados e sempre tão divulgados pelos meios de comunicação social que rodam basicamente, e ao que parece, à volta de três ou quatro nomes. Eles fazem a sua própria publicidade, vamos utilizar um termo mais nobre (embora saiba que a nobreza reside no carácter das pessoas ao serviço das mais diversas funções) relações públicas, levando até ao leitor a sua obra, conversando sobre poesia e lendo os seus próprios textos. Assim, e como já devem ter entendido, eles não estão a enganar ninguém. As pessoas só compram se gostarem do que ouvem. Eles são os próprios críticos das obras cujos trechos puderam escutar e avaliar. E, depois de um serão bem passado, passam aos autógrafos e venda das obras. São comerciantes dos seus próprios “produtos” recebendo o dinheiro empatado na editora e acabando mesmo por ter algum lucro que cobre as despesas de deslocação e não só. Depois, o reconhecimento e a divulgação da obra expande-se pelo meio de comunicação mais antigo existente na terra – a publicidade boca a boca – e se, naquele serão, estiveram só cinquenta pessoas, no próximo estarão já oitenta ou mais, porque os presentes levam outros consigo! É uma forma original de se trabalhar neste país, onde, se queremos ver alguma coisa feita, temos de ser nós a realizá-la ou, se estivermos à espera, seja do que for, não fazemos absolutamente nada! Eles auto-promovem-se junto da população dos mais diversos concelhos e são respeitados enquanto autores. Vão ao encontro da população, enquanto que, alguns autores, no seu desinteresse ou vaidade ou até impossibilidade, esperam e querem que seja a população a ir até eles! É um esforço de louvar! Há alguma humildade, pelo menos aparentemente. Já espalhei a ideia e mais autores se mostraram disponíveis para fazer o mesmo! É uma ideia útil para quem quer recuperar o dinheiro investido. Desenganem-se aqueles que pensam que todo o autor editado o faz de forma gratuita. Isso só acontece com alguns! Muito poucos! As livrarias estão mais interessadas, e algumas editoras, na venda de produtos cuja triagem já foi feita noutros países, do que investir nos seus conterrâneos. Só aqueles que conseguiram sair do anonimato, têm ligar fixo nas prateleiras. Os outros ocupam a fila das prateleiras electrónicas. Mas a ideia parece ter pegado! Às vezes, é preciso só dar as ideias às pessoas, elas logo decidem o que querem fazer.

 

 

 



publicado por fatimanascimento às 10:12
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

mapa mensal desde 7 de Junho de 2008
ip-location
mais sobre mim
contador
Free Web Counters
Free Counter
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30
31


posts recentes

Que têm em comum Camões e...

Só anda descalço quem que...

"Bullies" /Predadores hum...

O que é a poesia?

Monarquia versus repúblic...

Meninas mulheres

sociedade e desigualdade

“Vai abrir a porta, filha...

Verdade, jornalismo e… co...

Refugiados

arquivos

Outubro 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Agosto 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

A manifestação de Braga

links
leitores on line
online
URGENTE!
www.greenpeace.pt
sapo
blogs SAPO
subscrever feeds