mapa anual de remoinhos, desde 07 de Junho de 2008
ip-location
HELP TIBETE!
opiniões sobre tudo e sobre nada...
Domingo, 4 de Dezembro de 2011
Livrarias e vendas

As livrarias podem ter um papel fundamental no mercado livreiro, tornando-o mais transparente! É impossível perceber qual o número exacto de vendas realizados por estas. Só as editoras têm acesso a esta informação. Quando não se pode acreditar na palavra de uma editora, um autor não pode - porque não tem acesso – saber qual o volume real de vendas realizadas pelas livrarias. Ora, com as novas tecnologias, tudo se torna mais fácil e simples e, com boa vontade, transparente. As livrarias podem, no final de cada ano civil, colocar num site o volume de vendas correspondente a determinada obra. Cada autor poderia facilmente consultar e perceber se algum exemplar da sua obra foi comercializado ou não, podendo, a partir daí, perceber o que há-de esperar da editora, quando tocar a esta o pagamento dos direitos de autor. Saberá o editor o que terá de pagar e saberá, com certeza, o autor o que lhe competirá receber.

Sabendo que vivemos numa selva comercial, onde cada um procura tirar partido do outro, tentando ganhar o máximo tendo um mínimo de despesas ou responsabilidades para com os seus, cada vez se torna mais notório a necessidade de transparência. Quando algumas editoras querem pagar os direitos de autor em livros, impingindo a estes as suas próprias obras como moeda, parece que voltámos à Idade Média, onde à falta de dinheiro (não era cunhada em muitos feudos) as pessoas procediam à troca directa. Aqui não se trata de falta de moedas. Um editor recebe dinheiro do autor aquando da publicação da sua obra (raramente há editores que apostam nas obras, embora aconteça). Ora, esse dinheiro, vai cobrir grande parte dos gastos (às vezes a totalidade) tidos com a publicação de uma obra. Ainda assim, alguns editores, “porque os outros fazem o mesmo” querem tornar esta prática regular – pagar os direitos de autor em géneros! Ora, um autor não come livros, precisa do dinheiro para continuar a investir na publicação das suas obras ou até para si. É um direito, mais que legítimo, que lhe assiste e que só a desonestidade de alguns editores quer retirar, inventando práticas que, embora defendam que sejam correntes, não são honestas. Por tal, e porque penso que devemos salientar pela positiva os editores honestos, escrevi um artigo sobre este assunto que pôs os cabelos em pé a alguns editores que, embora não sendo, nem de longe nem de perto referenciados pela negativa, se manifestaram contra o facto de ter mencionado, pela positiva, uma editora que, acabado o ano civil, envia para os autores uma carta como volume de livros vendidos e a respectiva quantia de direitos respeitante a cada autor. Isto é honestidade. Tenho uma colega que vai editar por esta editora. “Paga direitos de autor” dizia-me ela, satisfeita!

É assim que se ganha nome no mercado! Não é com desonestidade! E não é encobrindo que se limpa o nome da empresa, é cumprindo! Por mais que se tente encobrir, estas histórias acabam sendo passadas de boca em boca pelas revoltadas vítimas!



publicado por fatimanascimento às 15:13
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

mapa mensal desde 7 de Junho de 2008
ip-location
mais sobre mim
contador
Free Web Counters
Free Counter
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

sociedade e desigualdade

“Vai abrir a porta, filha...

Verdade, jornalismo e… co...

Refugiados

Esquerda unida

Evolução

Eleições e pensamento

Fiadores

Nova forma de trabalho es...

Combater a natureza com a...

arquivos

Agosto 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Devemos ser mesmo maus na...

A manifestação de Braga

links
leitores on line
online
URGENTE!
www.greenpeace.pt
sapo
blogs SAPO
subscrever feeds