mapa anual de remoinhos, desde 07 de Junho de 2008
ip-location
HELP TIBETE!
opiniões sobre tudo e sobre nada...
Domingo, 14 de Março de 2010
camiões e camionistas

Já ouvira contar histórias de camiões e camionistas. Já escutara o medo de alguns condutores que haviam assistido a cenas complicadas de digerir. Lembram-se daquele antigo anúncio televisivo que pedia aos camionistas para ligarem o pisca da direita ou da esquerda dando assim uma possibilidade aos carros de perceberem se o caminho estaria impedido ou livre para possíveis ultrapassagens? Algumas destas ajudas correram mal. Passado pouco tempo, o anúncio pedia precisamente o contrário – que terminassem as ajudas porque o resultado era, muitas vezes, catastrófico. Isto só para lembrar uma das terríveis histórias trágicas que envolveram camiões. Alguns deles parecem ou outros semelhantes parecem ainda andar por aí. Numa versão mais ligeira.

No caminho de ida e volta do trabalho, cruzo-me com imensos camiões de todos os tamanhos e feitios. Olho aquelas imensas e pacíficas máquinas de quatro gigantes rodas companheiras das inúmeras horas de viagem em que arrastam a corpulência nas penosas subidas para logo ganharem algum alento nas consequentes descidas. É neste convívio sereno que envolve respeito mútuo que aprendi a compreender e a respeitar o seu espaço. Eles faziam o mesmo. Há pouco tempo, porém, a situação mudou. Mudei de auto-estrada e o panorama modificou completamente. Alguns camiões pareciam não conhecer aquele acordo tácito que envolve ambas as partes – carros e camiões. Estando a trabalhar mais perto, e saindo de casa com a devida antecedência, não tenho necessidade de me envolver em despiques desnecessários contra o tempo parecendo querer engolir o tapete alcatroado da auto-estrada. Por outro lado, tento poupar, ao máximo, gasolina. Assim, mantenho uma velocidade razoável que acompanha o ritmo de alguns dos meus pesados companheiros. E a situação mantém-se estável até que vem um que se lembra de querer andar ao seu ritmo constante mais acelerado e resolve apitar perturbando a condução do carro da frente. Sobressaltada e sem perceber o erro cometido, olho pelo retrovisor para inspeccionar o meu agressor. Novamente o mesmo som, desta vez acompanhado de luzes. Cada vez entendia menos e começava a aborrecer-me. Só depois de muito atroar os meus ouvidos e ofuscar a minha vista a gigantesca máquina se resolve a passar para faixa da esquerda dando início, finalmente, à ultrapassagem e lá desapareceu na íngreme subida. Olhei pelo retrovisor. O afluxo de trânsito, àquela hora da manhã era pouco ou quase nulo. Fiquei irritada. Custou-lhe muito a tarefa da mudança de faixa? Não compreendi. Já passara por outros que haviam tomado a faixa esquerda sem qualquer espécie de alarido, e, depois, aquele irritado espécime que parecia estar atrasado para uma hipotética entrega. Seguiram-se-lhe muitos. E sei que terei de aturar muitos mais. Mas constato que a grande maioria não se dá a estes espectáculos ridículos que em nada contribuem para a boa imagem dos camionistas. É sempre assim. Há sempre uma minoria que coloca em risco a reputação dos outros.

 



publicado por fatimanascimento às 11:23
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

1 comentário:
De claudia a 2 de Abril de 2010 às 23:01
comprendo perfeitamente a sua situaçao e partilho da sua opiniao que derivado a haver estes camionistas, so difamam ainda mais a imagem de um camionista. eu tambem sou esse especie que muitos desprezao na estrada e que muitos condutores de ligeiro tentam fazer a nossa vida na estrada um inferno...gostava que se lembrasem que ali dentro daquela maquina de quatro gigantes rodas vai um pai ou uma mae, uma filha ou um filho... que so sabem dar noticias que este gigante causou acidentes o que muitas e tantas vezes é causado por ligeiros incompetentes!!!!é o nosso trabalho, nao é turismo...é uma vida de sacrificio que so quem passa por elas é que sabe...


Comentar post

mapa mensal desde 7 de Junho de 2008
ip-location
mais sobre mim
contador
Free Web Counters
Free Counter
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Só anda descalço quem que...

"Bullies" /Predadores hum...

O que é a poesia?

Monarquia versus repúblic...

Meninas mulheres

sociedade e desigualdade

“Vai abrir a porta, filha...

Verdade, jornalismo e… co...

Refugiados

Esquerda unida

arquivos

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Agosto 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Devemos ser mesmo maus na...

A manifestação de Braga

links
leitores on line
online
URGENTE!
www.greenpeace.pt
sapo
blogs SAPO
subscrever feeds