mapa anual de remoinhos, desde 07 de Junho de 2008
ip-location
HELP TIBETE!
opiniões sobre tudo e sobre nada...
Quarta-feira, 11 de Março de 2009
Carnaval e brincadeiras

A minha mãe chegou a casa aborrecida. Tirou o casaco e começou a raspar a unha junto do decote.

  - Brincadeiras parvas! – queixou-se ela. – Uma rapariga chegou por trás de mim, colocou a mão no meu ombro, dizendo “No Carnaval nada parece mal!”

  A minha mãe é dos anos em que o Carnaval misturava farinha, ovos nas brincadeiras… talvez por isso não tenha sido muito ríspida na avaliação.

  Ao olhar para a pastilha elástica, azul clara, mastigada, destacando-se da negra malha do casaco curto, saiu-me um comentário que espelhava bem o meu sentimento em relação a tal atitude:

  - Isso não é brincadeira, é maldade!

  Desde há uns anos para cá que o Carnaval não me diz nada. Ao princípio pensei que fosse da idade. De facto, já não ligo a esta época como costumava fazer. Sou da época das serpentinas e dos papelinhos redondos coloridos, das roupas antigas, que retirávamos das arcas, e com as quais nos mascarávamos. Lembro-me especialmente de um saia de alças preta, de decote redondo bordado a flores coloridas que se destacavam alegremente do negrume, com várias camadas de tecido leve e transparente, que os meus vizinhos, mais entendidos nas questões de roupa, identificaram como sendo uma camisa de dormir. Não sei se era, mas fazia as minhas delícias. Caía direito, tapando as minhas pernas, até roçar o chão. A partir das improvisadas máscaras, inventávamos as brincadeiras que nos ocupavam as tardes e as manhãs dos dias prévios ao Carnaval. Não nos cansávamos. Foi sempre assim que eu encarei esta época, e só assim tem interesse. Gosto dos bailes de máscaras em que as pessoas escondem a sua verdadeira identidade, assumindo a identificação da máscara usada. Não gosto e nunca gostei da maldade que se quer fazer passar por brincadeira. A única maldade que me lembro daquela época, estava relacionada com camisa negra, que um dos vizinhos, teve a amabilidade de criticar dizendo que eu parecia uma viúva. Por momentos, senti a minha ilusão tocar a decepção, com as palavras mal intencionadas. Mas, como todas as crianças, eu tive aquela capacidade, na altura, de superar aquele mau momento e voltar a imergir na personagem que desempenhava. Os maus momentos, voltavam sempre que o homem se acercava da área em que brincávamos, sempre com o mesmo comentário sarcástico. Até que desistiu. As crianças têm esse poder sobre os adultos, pelo menos algumas, aquelas a quem os adultos deixam ser crianças não as transformando, como muitas outras que eu conheci (e conheço), e que mais não eram que adultos em ponto pequeno, no mau sentido da palavra.

 



publicado por fatimanascimento às 16:59
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

mapa mensal desde 7 de Junho de 2008
ip-location
mais sobre mim
contador
Free Web Counters
Free Counter
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

sociedade e desigualdade

“Vai abrir a porta, filha...

Verdade, jornalismo e… co...

Refugiados

Esquerda unida

Evolução

Eleições e pensamento

Fiadores

Nova forma de trabalho es...

Combater a natureza com a...

arquivos

Agosto 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Devemos ser mesmo maus na...

A manifestação de Braga

links
leitores on line
online
URGENTE!
www.greenpeace.pt
sapo
blogs SAPO
subscrever feeds