mapa anual de remoinhos, desde 07 de Junho de 2008
ip-location
HELP TIBETE!
opiniões sobre tudo e sobre nada...
Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008
Indemnizações?

O povo português já percebeu que, num estado de direito, pode castigar esse mesmo estado, quando este não cumpre com os seus deveres. Foi o que aconteceu recentemente aquando da morte de um paciente, já aconteceu outras vezes, e poderá continuar a acontecer… e, quando recebem o dinheiro, as pessoas sentem-se menos injustiçadas perante situações difíceis, (muitas destas irremediáveis!), com que se viram confrontadas em determinado momento das suas vidas. A solução geralmente encontrada é o pedido de indemnizações ao estado. Não discuto. Mas esta solução dá que pensar. O estado tem dinheiro, pelo que pode pagar essas indemnizações. Mas já pensaram de onde vem esse dinheiro utilizado para pagar aos lesados? Não será dos impostos que nós pagamos ao estado e que tão significativo é no corte que representam no salário do final de cada mês? Eu refiro-me sobretudo aos portugueses que trabalham por conta de outrem e que não têm hipótese alguma de fugir ao fisco. Não serão estes os verdadeiros lesados das indemnizações? Nós, por vezes, parecemos esquecer-nos desta realidade - somos nós que pagamos as indemnizações aos queixosos. Eu questiono-me se não haverá outra forma de o fazer… As políticas, nomeadamente a da saúde, que encontra uma maneira de poupar dinheiro encerrando, ao que parece um pouco descuidadamente, centros de saúde e hospitais, (ou alguns serviços destes!), por esse país fora, são feitas por homens que assinam documentos e outros que as aprovam, dando sinal verde para a sua execução. Não serão estes os verdadeiros responsáveis por essas perdas irreparáveis nas vidas das pessoas? Então, não será a esses que, depois de apuradas as responsabilidades, se devem pedir as indemnizações e não ao estado? Não é assim que sucede sempre que temos razão de queixa de alguém? Aquela médica, acusada de negligência, não está a ser julgada e a enfermeira, também acusada, não foi reformada compulsivamente? Não sofremos, todos nós, na pele, as consequências dos nossos actos? Então porque há-de ser diferente para aqueles que trabalham no estado, em esferas de grandes responsabilidades? Se assim acontecer, tenho a certeza que as pessoas envolvidas em projectos de natureza política, sejam eles quais forem, vão ter mais cuidado com as soluções apresentadas e com as decisões a tomar… vão, pelo menos, pesar mais as consequências dessas decisões políticas que tanto atrapalham a vida do cidadão comum. Sim, porque muitos destes encerramentos, dá-me a sensação de serem feitos por pessoas debruçadas sobre o mapa do nosso país, guiando-se pela distância no mapa, sem terem a noção real do espaço e do incómodo e perda de tempo que representa para o cidadão comum as deslocações para outras unidades hospitalares… em que planeta vivem essas pessoas, nossas conterrâneas, que fazem estes projectos e as que tomam tais decisões? Não deve ser no planeta Portugal, com certeza! Pelo menos, não é de certeza, o mesmo em que nós, os que sofremos na pele tais decisões, vivemos.



publicado por fatimanascimento às 10:19
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

mapa mensal desde 7 de Junho de 2008
ip-location
mais sobre mim
contador
Free Web Counters
Free Counter
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

sociedade e desigualdade

“Vai abrir a porta, filha...

Verdade, jornalismo e… co...

Refugiados

Esquerda unida

Evolução

Eleições e pensamento

Fiadores

Nova forma de trabalho es...

Combater a natureza com a...

arquivos

Agosto 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Devemos ser mesmo maus na...

A manifestação de Braga

links
leitores on line
online
URGENTE!
www.greenpeace.pt
sapo
blogs SAPO
subscrever feeds