mapa anual de remoinhos, desde 07 de Junho de 2008
ip-location
HELP TIBETE!
opiniões sobre tudo e sobre nada...
Sábado, 8 de Setembro de 2007
Carta aberta à igreja... caso esteja interessada!

Devo dizer que este texto foi escrito, há cerca de quatro ou cinco anos atrás, e mostrei-a ao pároco da igreja da cidade onde moro, que me refutou algumas ideias e minimizou outras sem, contudo, ter uma explicação satisfatória para mim. Porquê a sua publicação agora? Talvez porque acredite sinceramente que, nestes últimos anos, nada deve ter mudado! E há que fazê-los pensar...

Ia baptizar a minha filha mais nova. Escolhi os primeiros padrinhos num momento impulsivo, originado pela dor, o abandono e a boa fé. Acabara de me separar. Pareciam-me os padrinhos ideais… Eles haviam sido baptizados,  haviam feito a primeira comunhão,  o crisma, eram católicos praticantes, (ele havia sido acólito) haviam casado pela igreja, enfim… tinham um percurso invejável que seduziria a igreja. Sim, porque a olhar às actuais exigências da igreja, ao escolher uns padrinhos assim, eu ficaria bem vista por ela. Só que … (e há sempre um  “só que”) estes “paradigmas sociais” nada tinham de cristãos. Tudo quanto fizeram de bom era só a olhar à imagem social que projectavam na sociedade. Descobri que, para além de não quererem ser os padrinhos, não gostavam de mim nem da criança de que iriam  apadrinhar. Descobri também que a sua amizade com o meu ex-marido, era de tal maneira estreita que os levava a contar-lhe tudo o que se passava em minha casa. Desfiz a amizade e encontrei os padrinhos que eu sempre desejara e que pensara já ter encontrado nos outros. Só que… (e também desta vez houve um “só que”), os padrinhos que eu escolhi eram da minha satisfação pessoal, mas não satisfaziam as exigências da igreja. O impedimento? O padrinho não era casado pela igreja. Apesar de ser um bom cristão, ser um bom marido e pai e um bom exemplo social, trabalhador e amigo e ter sido escolhido por mim que o conhecia, isso não era suficiente para a igreja católica.

   Olhando à minha volta, reparando na minha situação de divorciada, na quantidade de uniões de facto e de casamentos civis, como vamos escolher os padrinhos ideais? Eu, pessoalmente, conheço algumas pessoas felizmente casadas (e congratulo-me com isso!), mas só essas reunirão as condições sociais, morais e religiosas para serem padrinhos? Ninguém é perfeito. Há de tudo na nossa sociedade. E há muita hipocrisia e interesses que nada têm a ver com o cristianismo. Como vai a igreja ultrapassar esta barreira?  Vão passar a baptizar sem  padrinhos? Vão indicar eles os melhores padrinhos aos pais? Se assim for, com que critérios? Olha-se ao percurso católico sem olhar à pessoa, mesmo que esta seja um boa cristã? O que é mais importante, se o ideal é cada vez mais difícil de encontrar, (embora não impossível)?

   Os nossos padres têm de cumprir o que a igreja católica dita, mesmo quando não compreendem ou não concordam, e são eles que, ao lidarem com os seus paroquianos se vêem confrontados com situações que não podem ( ou não querem?) resolver? Eles não contornam a lei da igreja. Como pode a igreja ser tão intransigente, quando a nossa sociedade está a sofrer profundas modificações? Vão excluir as pessoas que não pactuem com a sua lei? Os divorciados não podem comungar. Porquê? Porque são DIVORCIADOS! Mesmo que não tenham escolhido esta situação, e se tenham visto forçados a aceitar o inevitável, isso não interessa, estão para todos os efeitos ROTULADOS! Isto não faz com que sejam piores católicos e cristãos, contudo, têm de aceitar, é a LEI! Só que a lei está a afastar os católicos das igrejas, e o que vão fazer com “igrejas às moscas”? Passam a ser meros monumentos, velhos testemunhos de uma fé outrora praticada e amada?

   O amor…, não deveria ser a igreja católica a igreja do amor, em vez de um conjunto de leis que nada têm a ver com os cidadãos?

   Se nós nos revoltarmos, o que poderá acontecer? A igreja senta-se pacientemente, como um pai à espera que pare a birra do filho.

   A igreja católica é a igreja baseada nos ensinamentos e exemplo de Jesus, e, que eu me lembre, ele nunca excluiu ninguém da sua companhia ou da sua fé. Nem mesmo Maria Madalena foi excluída por ele… embora o fosse pela sociedade do seu tempo. A igreja deveria fazer mais aquilo que me ensinaram as irmãs de S. José de Cluny: o que faria Jesus se estivesse no meu lugar? Este é o segredo de uma igreja católica fiel aos seus princípios. E quem melhor sabe do que Jesus?

A leiga,

Maria de Fátima Dias



publicado por fatimanascimento às 14:20
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

mapa mensal desde 7 de Junho de 2008
ip-location
mais sobre mim
contador
Free Web Counters
Free Counter
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

sociedade e desigualdade

“Vai abrir a porta, filha...

Verdade, jornalismo e… co...

Refugiados

Esquerda unida

Evolução

Eleições e pensamento

Fiadores

Nova forma de trabalho es...

Combater a natureza com a...

arquivos

Agosto 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Devemos ser mesmo maus na...

A manifestação de Braga

links
leitores on line
online
URGENTE!
www.greenpeace.pt
sapo
blogs SAPO
subscrever feeds