mapa anual de remoinhos, desde 07 de Junho de 2008
ip-location
HELP TIBETE!
opiniões sobre tudo e sobre nada...
Sexta-feira, 31 de Maio de 2013
Pronto!
Pronto! É oficial! O Presidente da República sempre apresentou queixa e foi aberto um inquérito pela Procuradoria da Justiça a Miguel Sousa Tavares. Esta, que parece não ter nada mais importante para fazer, vai perder tempo e dinheiro (o nosso!) e sempre vai investigar em que circunstâncias aparece aquela palavra no discurso escritor. Numa altura em que o descontentamento é total e a confiança nos políticos é mínima, para não dizer inexistente, e as manifestações se multiplicam, umas espontâneas e outras orquestradas pelos também desiludidos movimentos sindicais, esta palavra vai ficar para a História. Todas as ações arrebatadas e ousadas ficaram e estas não serão exceção. Depois de um período negro, financeiramente falando, criado pelos políticos do governo anterior que levou à incómoda e infeliz situação em que nos encontramos, quem pode culpar o povo por pensar o pior dos políticos e das instituições que representam, quando o trabalho realizado à frente das mesmas deixa tanto a desejar? Depois das desastrosas decisões tomadas em relação aos bancos privados na tentativa de os recuperar sem que a justiça agisse convenientemente no que respeita às pessoas diretamente envolvidas nos escândalos de corrupção, quem pode censurar o povo por não acreditar nos políticos e nas instituições que representam, se nada fizeram no sentido de apurarem responsabilidades e, quando as houve, o resultado foi nulo? O que dizer às pessoas revoltadas com esta e outras situações, sobretudo quando sabem que têm de pagar pelos erros dos outros? O que acontece se nem gritar a nossa revolta podemos dizendo o que nos vai na alma? Onde está a liberdade de expressão? Lembro-me particularmente de algumas manifestações, algumas espontâneas como aquela que se realizou junto aos portões do (salvo erro) palácio de Belém em que os manifestantes esperaram a entrada dos membros do governo para gritarem a sua revolta a plenos pulmões “GATUNOS!” “GATUNOS!”. Em pobres e desesperadas pessoas já com alguma idade por cujas reformas, já de si tão pequenas, temiam fortemente. Nada lhes aconteceu! Felizmente! Nenhum agente policial os identificou. O mesmo já não aconteceu com os estudantes de uma universidade lisboeta cujo espaço foi visitado pelo atual primeiro-ministro que foi apupado e cujas palavras também foram entendidas como abusivas? Ninguém, na altura, se importou em saber a causa da revolta daqueles jovens, só quiseram saber das palavras abusivas usadas. Quem me desculpem os envolvidos mas acho justo que os jovens se mostrem indiferentes e desrespeitosos por quem desrespeita o seu agregado familiar sem querer saber minimamente das consequências tomadas pelos governantes. É uma opinião. As palavras escolhidas não foram as melhores? As decisões políticas tomadas não foram a s melhores para eles também e os membros do governo não foram identificados por isso, nem sequer os que deixaram o país neste estado! Por tudo o que foi dito, e muito mais, os políticos seja qual for a sua representatividade, Têm de estar à altura do desempenho das suas funções ou perdem credibilidade junto do povo para já não falar do respeito! O que me choca, no caso do Miguel Sousa Tavares, é o tratamento e as proporções que este caso está a tomar! Com toda a sinceridade, se fosse Presidente da República, não teria em conta o que foi dito e continuaria a minha vida! Afinal, o que não nos atinge não nos incomoda! Depois, quando se aceitam certos cargos públicos já sabem que têm de ter um bom desempenho para serem bem vistos e respeitados pelos demais, caso contrário têm de estar preparados sobretudo para o descontentamento que se gera. Com toda esta celeuma criada à volta do assunto, e tal como aconteceu com os jovens universitários, também esta entrevista vai ficar na História e vai ajudar ao julgamento a que a História votará os políticos de hoje. Depois, ninguém é mais importante que os outros. Todos estamos sujeitos à crítica seja qual for o seu rosto. Todos temos direito ao respeito e não apenas o cargo representativo. Esta ideia de identificar o presidente com a representatividade do país parece-me um pouco (para não dizer muito) forçada. Há aqui, assim me parece, laivos ainda da confusão que o Estado Novo fazia entre pessoas e os cargos ocupados! Todos somos humanos e são as pessoas que fazem os cargos não os cargos que fazem as pessoas.
Voltando ao caso do escritor, todos conhecemos a paixão e arrebatamento com que se manifesta quando percebe que as pessoas escolhidas estão, na sua opinião, muito aquém das funções exercidas. Eu acho natural, dadas as circunstâncias atravessadas pelo país e o descontentamento pelas decisões tomadas desde sempre que beneficiaram sempre uma minoria em detrimento da maioria. Não custa ouvir e o Presidente sairia melhor visto desta situação. Porque não é o Miguel Sousa Tavares que está em causa mas as ações, ou a falta delas, da pessoa que ocupa o cargo de presidente. Se eu fosse Presidente da República falaria pessoalmente com ele, ouviria os seus motivos e, finalmente, tomaria uma posição. Talvez menos prezando a palavra e ultrapassando a situação. Será que a pessoa do cargo consegue ter este discernimento. Para bem de todos, espero que sim!


publicado por fatimanascimento às 16:28
link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

mapa mensal desde 7 de Junho de 2008
ip-location
mais sobre mim
contador
Free Web Counters
Free Counter
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

sociedade e desigualdade

“Vai abrir a porta, filha...

Verdade, jornalismo e… co...

Refugiados

Esquerda unida

Evolução

Eleições e pensamento

Fiadores

Nova forma de trabalho es...

Combater a natureza com a...

arquivos

Agosto 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Devemos ser mesmo maus na...

A manifestação de Braga

links
leitores on line
online
URGENTE!
www.greenpeace.pt
sapo
blogs SAPO
subscrever feeds